Mensagens subliminares: ilusão ou realidade?

Os meios de comunicação populares têm um papel cada vez mais influente na sociedade atual. A utilidade e a praticidade de alguns destes meios levam ao público informações e dados de valor cultural que mostram alguns hábitos de vários povos e também do nosso. Através da mídia age a Indústria do Entretenimento, que na verdade sempre foi uma presença forte na maior parte da história recente do homem. Atualmente esta Indústria movimenta grandes quantias de dinheiro em todo o mundo, e a concorrência torna-se cada vez mais selvagem em quase todos os setores. Das emissoras de tevê que lutam entre si pela audiência para obterem retorno socioeconômico, aos artistas em geral que procuram ganhar seu espaço na mesma mídia, o combate é sério e muitas vezes a saúde mental do espectador é a última preocupação de todos os envolvidos com a difusão de todos os tipos de mídia. Sendo assim, as mensagens subliminares são uma poderosíssima ferramenta dos meios de comunicação (que outrora visava mais o serviço do que o lucro) e da propaganda em geral.

Muito se tem especulado sobre estas mensagens, e qual o efeito que elas podem causar na mente humana. Esta prática não é uma novidade do nosso tempo: alguns homens na história se utilizaram de métodos subliminares para obterem êxito de uma maneira que pode ser considerada ilícita, ainda que naquele caso, tenham atingido a poucos. Nos tempos de hoje existem relatos de muitas mensagens encontradas em vários formatos de mídia e publicidade, dos outdoors às obras verdadeiramente da sétima arte, passando por canções e seus videoclipes. Contudo, até aonde podemos acreditar que essas mensagens não foram intencionais? Até aonde essas mensagens são de fato verdadeiras, não sendo apenas invenções de curiosos ou teorias da conspiração?

Primeiro, é importante obtermos um parâmetro do que é subliminar ou não. No dicionário subliminar significa: SUBLIMINAR adj. Psicol. Que não atinge o limiar da consciência, mas pode ter efeitos a nível subconsciente. Propaganda subliminar, propaganda sub-reptícia, feita através da inserção, num programa comum, de letreiros e imagens brevíssimas, de que a percepção consciente não se dá conta. Desde que essas mensagens foram encontradas aqui no Brasil e no exterior, existe legislação (no nosso caso, a consumerista, conforme o artigo 36) proibindo o uso de tais mensagens pelo menos na propaganda de serviços e produtos. Então porque esta prática ainda é comum?

Segundamente, devemos tomar conhecimento de que nossos olhos podem ser capazes de ver uma brusca variação de cores em até sessenta quadros por segundo, mas não sendo, porém, capazes de ler conscientemente algo a esta velocidade. Em geral os filmes são gravados na película a vinte e quatro quadros por segundo, contudo já existem câmeras e televisores digitais que respectivamente gravam e reproduzem em mais de cento e vinte quadros por segundo.

O terceiro ponto a ser citado, são os veículos nos quais se usam mensagens subliminares: visual e auditiva são os mais comuns. As técnicas, no entanto, são muito diversas e estão em todas as mídias que comportem uma ou outra técnica. Um dos primeiros casos de mensagem subliminar registrados foi nos Estados Unidos. A firma que tomou proveito do método foi a Coca-Cola, famosa empresa de bebidas em muitos países. A própria Coca-Cola afirmou que após o uso da mensagem as vendas aumentaram 57,7% com a frase escondida “Drink Coke” (ou beba Coca, em tradução livre). Isto ocorreu em 1956 e o caso foi publicado em “Sunday Times” de 10 de Junho de 1956, Nova Iorque.

Walt Disney Confessa

Muitos casos são aparentemente únicos, ou isolados demais para serem trazidos a público, o que geralmente é feito com protecionismo entre as corporações. Fato é que a quantidade de mensagens ocultas descobertas por estudiosos do assunto só aumenta. Um dos longas-metragens animados da empresa de entretenimento Walt Disney, chamado “The Rescuers” de 1977, conhecido como “Bernardo e Bianca” em nosso país, tiveram suas cópias recolhidas pela própria empresa nos Estados Unidos, que publicou uma nota oficial confessando terem em seus desenhos “imagens de fundo objetáveis” e, que neste caso, tratavam-se da imagem de uma mulher de busto nu durante milésimos de segundo sendo passada no fundo da animação. “Pela primeira vez na história da companhia, a Disney admite ter em encontrado imagens subliminares num de seus filmes de animação.” (Folha de S. Paulo, edição de 15 de janeiro de 1999), o que resultou no recolhimento de quase 4 milhões de fitas VHS e prejuízo à empresa de setenta e oito milhões de dólares não corrigidos. O que não se pode esquecer é que no caso de animações, cada quadro é feito individualmente, e com bastante cautela.

Não é só nos vídeos que as mensagens subliminares estão presentes, mas nas pinturas e ilustrações, as quais trazem inscrições ou formas ocultas, como é o cartaz original e capa do vídeo caseiro de “The Silence of the Lambs” produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer em 1991, conhecido como “O Silêncio dos Inocentes” no Brasil, que traz um detalhe de cunho sodômico (na ilustração da mariposa) quase imperceptível. Em geral estas mensagens induzem a ideologias ou práticas psicossocialmente degradantes, e antes de descobertas, ficam sendo levadas somente ao subconsciente, que diferente do consciente, não tem como reagir à proposta da mensagem.

O termo subliminar vem dos estudos científicos da psicologia, que confirmam o potencial dessas mensagens na vida consciente do ser humano.

As mensagens ocultas também são bastante comentadas por sua presença em músicas populares ou mesmo em “slogans” de campanhas publicitárias. Não seria plausível considerarmos como “mensagem subliminar” as palavras geradas isoladamente de uma música tocada de traz para frente, pois toda música gera sons que parecem palavras, se tocada ao contrário. No entanto existem não poucos casos de frases ou versos que, se girados ao reverso, geram frases inteiramente compreensíveis e até perguntas da parte dos compositores aos que se aventuraram a pesquisar. Um exemplo é a música “Ilusão de ótica” da banda de rock brasileiro Engenheiros da Hawai. O trecho da canção que diz “Olha, não roda assim, não gosto que rode assim” se tocado ao contrário, gera com clareza de som superior ao sentido normal, a frase “Por que você está ouvindo isto ao contrário, o que você está procurando, hein?”, o que pode não trazer uma mensagem de efeito subconsciente, mas demonstra a prática do compositor em se utilizar da técnica. Em uma música chamada “Mistura suicida” (Suicide Solution) de uma famosa banda de rock americana foram encontradas pelo “Institute for Bio-Acoustics Research” nos Estados Unidos as mensagens “Why try, why try? Get the gun and try! Try it! Shoot! Shoot! Shoot!” (Porque não tentar? Pegue uma arma e atire! Atire!), o que levantou suspeitas da ligação entre a obra e casos de morte no país. Outro exemplo simples, porém assustador, é o slogan da campanha de eleição de Obama, “yes, we can” (sim, nós podemos) que milhares repetiram, e que da forma como era dito, de trás para frente produz com perfeição a frase “thank you, satan” (obrigado, satanás). Lembrando que estes são apenas alguns exemplos dos muitos que existem.

Com os avanços da tecnologia e o fácil acesso a recursos de áudio e vídeo, essas mensagens subliminares são cada vez mais comuns, qualquer que seja a intenção do compositor ou dos criadores e editores de vídeo e animação. Como então poderemos nos defender e defender as nossas famílias das más intenções de alguns que externam em suas obras interesses escusos difundidos além do que pode ser captado conscientemente? Procurando conhecer quem são os que estão entretendo a nós e nossas famílias e, pesquisando informações que eles mesmos jamais irão nos passar. Em caso de dúvidas sobre o artista ou produção, é sempre melhor evitar por precaução do que se prejudicar. Pois, é verdadeira a Palavra (e verdadeiro é quem a disse) que diz: “Maldito o homem que confia no homem” (Jeremias 17:5).

Artigo originalmente escrito em agosto de 2002, corrigido em novembro de 2016.

Fontes


  1. Dicionário Priberam
  2. Dicionário Enciclopédico Koogan Larousse Seleções
  3. geocities.com/Broadway/Wing/6556/satarock.html (removido)
  4. mohammedi.freeserve.co.uk/subliminals.html (removido)
  5. mensagemsubliminar.com.br (removido)

4 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *